Notícias

Negociação China/EUA ameaça soja no Brasil

soja EUAxChina 7bcce5a5dee30bSegundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a quarta-feira (31.07) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação oferecidos pelas Tradings no porto caindo 0,83%, para a média de R$ 77,29 a saca. Com isto os preços da soja terminam o mês em queda de 5,51%.

Já os preços do mercado interno, que sofrem outras influências, recuaram 1,04%, para R$ 72,35/saca, e acaba o mês com perdas de 4,43%. “A forte queda de 1,67% das cotações em Chicago, nesta quarta-feira, diante da falta de conclusão da reunião EUA-China e da melhora do clima suplantou a grande alta de 0,70% da cotação do dólar fazendo os preços recuarem”, explica o analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Pacheco.

“Há falta de acordo entre EUA e China. Apesar de os chineses declararem que iriam aumentar as compras de mercadorias americanas, nenhuma ordem nova foi colocada e este filme já foi visto uma vez, quando prometeram comprar 10 MT, só não disseram quando. Isso fez o mercado cair fortemente, tanto no futuro quanto no físico”, explicou.

Na avaliação de Pacheco, se os chineses cumprirem a promessa de aumentarem as compras de bens agrícolas dos EUA, os prêmios no Brasil tenderão a cair – quase na mesma proporção que Chicago subir. O Ministério do Comércio da China (MofCom) afirmou em comunicado que as tratativas comerciais com autoridades dos Estados Unidos em Xangai foram “francas, eficientes, construtivas e aprofundadas”.

“Os dois lados também discutiram que a China aumentará as suas compras de produtos agrícolas dos EUA de acordo com necessidades domésticas e que os EUA criarão condições favoráveis para as aquisições”, acrescentou o MofCom. A próxima rodada de negociações econômicas e comerciais será nos Estados Unidos, em setembro.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)