Notícias

Soja em Chicago também registra alta

O preço do dólar também impulsionou as cotações da soja na Bolsa de Chicago, segundo informou o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. De acordo com ele, a alta não foi muito expressiva, mesmo com os preços subindo um pouco.

“Os Futuros de soja fecharam em alta de 3,50 centavos na maioria dos contratos, avançando os ganhos do dia anterior, mas andando de lado pelo quarto dia consecutivo. O contrato de setembro fechou a $ 856,50 (contra 852,75 da sessão anterior), com máxima de $ 860,50 (854,75) e com mínima de $ 852,50 (839,5). O farelo de soja de setembro fechou em queda de US$ 2,0/tonelada a $ 292,0 (294,0). E o óleo de soja fechou em alta de 26 pontos, com o contrato de setembro a $ 28,37 (28,11)”, comenta ele.

Segundo o especialista, a oleaginosa fechou em alta na esperança de melhor demanda, depois que o Secretário do USDA Perdue disse que o governo estava trabalhando duro para encontrar alternativas para o uso de biocombustíveis. “As chuvas recentes melhoraram as condições das lavouras, mas a cultura ainda tem um longo caminho até a maturidade e precisa de temperaturas mais quentes do que está recebendo na maioria das áreas”, indica.

“Os níveis de base no Golfo também estavam sob pressão, pois os EUA precisam encontrar nova demanda de exportação. As ideias são que Trump não tem realmente os ingredientes de um negócio com China e alguns sugerem que não vai encontrar um em um futuro próximo. Os EUA tem sido capaz de vender para outros países para ajudar no lado da demanda, mas agora as moedas são mais fracas na América do Sul e os preços não vão ser muito mais atraentes”, conclui.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)