Notícias

Demanda chinesa por soja brasileira enfraquece

A demanda chinesa pela soja brasileira enfraqueceu por margens mais fracas, com os esmagadores prestando mais atenção na Argentina, segundo a T&F Consultoria Agroeconômica informou na noite desta quinta-feira. De acordo com uma fonte da T&F, os esmagadores estão procurando lotes com 10 centavos abaixo dos preços oferecidos, que foram os níveis negociados de ontem.

“Os industriais chineses estiveram à procura de embarques de maio e junho de 2020, bem como de março de 2021, durante a sessão comercial, mas nenhuma oferta firme foi ouvida. Foram negociados de três a quatro cargos comercializados durante a noite no Brasil, com um embarque julho/agosto deste ano concluído com prêmio de 151 cents/bu em relação aos futuros de julho”, comenta a consultoria.

Nesse cenário, grande esmagador privado comprou 2-3 cargos de soja brasileira, das quais uma delas foi embarque de março e abril, mas alguns esmagadores voltaram-se para a Argentina para embarques entre maio e agosto deste ano, com um embarque de maio negociado a 110 c/bu sobre os futuros de julho e um embarque julho/agosto acordado em 118 c/bu sobre os futuros de julho. “O indicador da China para o embarque de abril foi cotado em 141 c/bu em relação aos futuros de maio, o que equivale a US$ 373,25/t, um aumento de US$ 0,25/mt em relação à avaliação anterior”, completa.

“Os prêmios FOB nos portos brasileiros recuaram 3 cents para abril, 5 cents para maio, 10 cents para junho e 8 cents para julho e 2 cents para agosto. Para a safra 2021, os níveis de prêmio subiram 3cent para março, e permaneceram inalterados para abril e maio. No mercado de Paper em Paranaguá houve relatos de negócios para junho a 45N, junho/julho a 57Q e março 21 a 23K. Os prêmios CIF da soja brasileira no porto chinês de Dallian permaneceram inalterados em relação ao dia anterior”, conclui.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)