Notícias

Exportação de carne suína sobe 34%

As exportações de carne suína brasileira registraram um aumento de 34% no ano de 2020, mais precisamente até o mês de maio, com influência bastante significativa da demanda crescente do mercado chinês, segundo informações divulgadas pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). De acordo com o que disse o diretor executivo da ABPA, Ricardo Santin, em nota, o país asiático foi o principal responsável pela aquisição destes números.

“A China fortaleceu sua posição como principal destino das exportações de aves e de suínos, e foi um dos impulsos para o bom desempenho dos embarques neste período. Esta é uma tendência que deverá se manter durante os próximos meses em relação ao mercado asiático”, disse.

Em questão de volume, o Brasil exportou 383,2 mil toneladas de carne suína (in natura e processada) nos primeiros cinco meses de 2020 e a receita com as exportações subiu 54,8%, para US$ 878,3 milhões neste ano. Somente em maio, as exportações do produto somaram 102,4 mil toneladas, o que representa uma alta de 52,2% ano a ano, com faturamento 58,4% superior ao registrado em maio do ano passado, a US$ 227,9 milhões.

“Ultrapassamos pela primeira vez o patamar de 100 mil toneladas e de US$ 200 milhões em um único mês. Apesar de extremamente positivo, era um comportamento esperado pelo setor para este ano, mesmo com o enfrentamento da pandemia”, disse o presidente da ABPA, Francisco Turra.

As exportações de carne de frango no ano subiram 4,9%, a 1,76 milhão de toneladas, gerando receita de US$ 2,7 bilhões, alta de 3,7% ano a ano. Somente em maio, houve crescimento de 4,5% no volume de carne de frango exportado pelo Brasil.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)