Notícias

USDA: Expectativas indicam aumento da safra de soja e redução no milho dos EUA

USDA soja milhofe014a7O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz seu novo boletim mensal de oferta e demanda nesta quinta-feira, 11 de junho, e à espera dos dados atualizados, o mercado internacional de grãos opera com cautela. No pregão desta quarta (10), os futuros da soja, do milho e do trigo caminhavam todos de lado, com oscilações apenas de pouco mais de 1 ponto.

A pandemia do novo coronavírus, apesar de ainda muito grave em países como Brasil e os Estados Unidos, sinaliza uma perda de força, com a reativação de importantes economias ao redor do globo. E assim, seus impactos também começam a ser sentidos com menos severidade, o que poderia ser refletido neste reporte de junho.

"As novas estimativas de oferta e demanda do USDA para junho podem apresentar poucas mudanças. Mas, com preocupações menos intensas sobre o coronavírus e algumas áreas de seco em regiões produtoras de trigo, pode haver alguns ajustes altistas. De outro lado, as exportações de soja podem ser revisadas para baixo", explica Todd Hultman, analista de mercado líder do portal americano DTN The Progressive Farmer.

PRODUÇÃO EUA 2020/21

A produção de soja dos EUA, segundo as expectativas do mercado, pode ser estimada superando o registrado em maio e ficando em 113 milhões de toneladas, como mostra a média das expectativas do mercado. O intervalo é de 112,26 a 116,81 milhões de toneladas, e há um mês a safra americana foi projetada em 112,26 milhões.

Para o milho, se espera algo entre 394,84 e 406,3 milhões de toneladas, com média de 404,49 milhões de toneladas. Em maio, o número veio em 406,3 milhões.

"Se haverá notícias positivas para o mercado do milho amanhã é difícil dizer. A média das expectativas é menor do que o número do mês passado, mas também há a chance de que o USDA não mude suas estimativas para a safra de milho ou soja dos EUA até a chegada do relatório de área em 30 de junho, também pelo USDA", diz Hultman.

ESTOQUES FINAIS EUA

2019/20 - Para os estoques finais de soja dos EUA, o mercado estima algo entre 13,53 e 17,15 milhões de toneladas, com média de 15,89 milhões. Em maio, o estimado foram 15,79 milhões. De milho, as projeções variam entre 52,71 e 58,5 milhões de toneladas, com média de 54,71 milhões e contra o reporte anterior, que mostrava 53,29 milhões de toneladas.

2020/21 - Já os estoques finais da safra nova de soja dos EUA são esperados entre 10,75 e 18,62 milhões de toneladas, com média das expectativas em 12,49 milhões. Há um mês, esse número veio em 11,02 milhões de toneladas. Sobre o milho, os traders trabalham com um intervalo de 80,7 a 91,29 milhões de toneladas, e média de 84,84 milhões de toneladas. No boletim do mês passado, o número foi de 84,28 milhões de toneladas.

PRODUÇÃO MUNDIAL 2019/20

SOJA - O mercado espera ainda que a safra de soja do Brasil seja revisada de 124 para 123 milhões de toneladas, na média das expectativas do mercado, que variam entre 120,9 e 125 milhões de toneladas. Para a Argentina, os números oscilam entre 50 e 51,2 milhões de toneladas, com média de 50,8 milhões de toneladas. Em maio, este número veio em 50 milhões.

MILHO - Para o milho brasileiro, a média esperada pelo mercado é de 99,6 milhões de toneladas, contra a estimativa anterior de 101 milhões. O intervalo das expectativas varia entre 98,5 e 102 milhões de toneladas. Sobre a colheita argentina, os traders esperam algo entre 50 e 49 milhões de toneladas, com média de 49,9 milhões e contra 51 milhões projetadas em maio.

ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS

2019/20 - Os estoques finais mundiais de soja da safra 2019/20 são esperados entre 98,5 e 103,1 milhões de toneladas, com média de 100,3 milhões. Há um mês, o número veio em 100,3 milhões dem toneladas. Para o milho, a média esperada é de 315,1 milhões de toneladas - contra 314,7 milhões de maio - em um intervalo de 312,4 e 319,7 milhões de toneladas.

2020/21 - Já os estoques finais mundiais de soja da safra 2020/21 são esperados, em média, em 100,1 milhões de toneladas, mas poderiam ficar entre 96 e 118 milhões de toneladas. No boletim anterior, foram estimadas 98,4 milhões de toneladas. O mercado espera ainda os estoques finais globais de milho da safra nova entre 314 e 346,6 milhões de toneladas, com média de 337,6 milhões e frente ao número do mês passado de 339,6 milhões.

FONTE: Notícias Agrícolas(Carla Mendes| Instagram@jornalistadasoja)