Notícias

Soja teve maiores preços dos últimos 3 anos no Brasil

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a sexta-feira (19.06) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação subindo 1,14% nos portos, para R$ 114,81/saca (contra R$ 113,52/saca do dia anterior). Com isto o ganho acumulado nos portos neste mês ficou em 6,79%.

A T&F Consultoria Agroeconômica aponta que os produtores de soja tiveram os maiores preços dos últimos 3 anos. De acordo com gráfico elaborado pelo engenheiro agrônomo Haroldo Tavares Elias, da Epagri/Cepa de Santa Catarina (divulgada no boletim da instituição na sexta-feira), registra os preços atualizados, corrigidos pelos índices econômico-financeiros, das últimas três safras, recebidos pelos agricultores de Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso. “Nela ficam evidentes os bons níveis obtidos nesta temporada, com lucros médios, estimados pela T&F Agroeconômica, ao redor de 34%”, apontam os analistas.

PRÊMIO EM BAIXA

De acordo com a ARC Mercosul, os prêmios para a soja em 2020 (Jul-Set) e 2021 (Fev-Abril) registraram pequenas quedas nesta semana, influenciadas principalmente pela forte alta do Dólar. Contratos para o final de 2020 (Out-Nov) ficaram estáveis: “Brasil embarcou na última semana um total de 3,50 milhões de toneladas de soja. Compromissos totais de exportação em 2020 somam agora 64,18 milhões de toneladas, volume 40,1% superior ao observado no mesmo período de 2019”.

DÓLAR

Ainda segundo os analistas da ARC Mercosul, a cena internacional e agravamento das incertezas políticas no Brasil garantiram mais uma semana de forte alta do dólar frente ao Real. “Destaque na semana também para a nova queda da Taxa SELIC, de 0,75%, agora posicionada em 2,25%. O COPOM ainda sinalizou que deve realizar novo corte em Agosto. Mercado aposta em nível mínimo de 2,00% para a SELIC em 2020. Em sentido contrário ao câmbio, Ibovespa fechou a semana acumulando nova alta”, conclui a Consultoria.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)